03 agosto 2017

BEDA #3: Filme Entre Ferrugem e Osso


Data de lançamento: 21 de junho de 2013 (2h 00min)
Direção: Jacques Audiard
Elenco: Marion Cotillard, Matthias Schoenaerts, Céline Sallette
Gênero: Drama
Nacionalidades: França, Bélgica

Nota: 



Sinopse: Alain (Matthias Schoenaerts) está desempregado e vive com o filho, de apenas cinco anos. Ele parte para a casa da irmã em busca de ajuda e logo consegue um emprego como segurança de boate. Um dia, ao apartar uma confusão, ele conhece Stéphanie (Marion Cotillard), uma bela treinadora de orcas. Alain a leva em casa e deixa seu cartão com ela, caso precise de algum serviço. O que eles não esperavam era que, pouco tempo depois, Stéphanie sofreria um grave acidente que mudaria sua vida para sempre.




Esse é uma daqueles filmes para ser assistidos no sabado a noite depois de uma ressaca cinegrafica de um filme muito bom. 
A história aborda a história de uma treinadora de baleias que numa festa em que se mete numa briga numa boata e acaba acontecendo Alain, um segurança bruto que usa o corpo como instrumento, evita de todas as maneiras a comoção do público. Nada de piedade pelos personagens sofredores, nada de cenas de redenção. O filme foi acusado, com razão, de ser frio, de evitar a identificação do público
Ferrugem e Osso propõe um cinema bruto, tanto no sentido de “pouco polido”, “pouco concebido para agradar”, quanto no sentido de um filme violento, agressivo, rude. Ao eliminar as emoções e os recursos de imersão, o cineasta conseguiu produzir uma experiência tão truculenta quanto cerebral – uma combinação rara e bem-vinda no cinema de arte contemporâneo.
As poucas cenas de Alain sendo carinhoso com o filho são raras, mas bastante comoventes, desde o inicio da trama quando ele roupa para comprar comida até as cenas finais onde ele brutalmente quebra o gelo tentando salvar seu filho de um afogamento. 
A criação dos personagens foi muito bem fotografada, e a fotografia ajuda o filme a ser incrível.



Já assistiram? Gostaram? 
Deixe nos comentários suas opiniões 


6 comentários:

  1. Olá, tudo bem?
    Não conhecia esse filme, mas achei bem interessante e gostei da resenha. Eu gosto muito de drama e, mesmo que esse filma seja frio e tal, acho que vale apena dá uma conferida.
    Beijos!

    http://excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. assista com uma mente aberta e você vai se encantar pelos detalhes e veracidade

      Excluir
  2. Adorei esse filme, o roteiro é excelente. Eu o assisti numa sessão do Itaú Cultural. Adoro filmes europeus. São sempre densos e retratam justamente a questão humana e suas relações. Eu juro que soquei o gelo junto com ele na cena em que o filho etá no lago congelado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu tambem adorei. é incrivel a forma como o diretor não romantiza nada, mostra a realidade da forma como ela é crua e densa.
      eu fiquei num desespero com aquela cena, pensei que o filho dele fosse morrer

      Excluir
  3. Olá amiga, como sempre, mais uma postagem interessante,esse filme, não assisti, fiquei curiosa.

    Abraços, tenha uma noite abençoada e que seu amanhecer seja com muitas energias boas para que reinicie uma semana com saúde e força para seguir sua caminhada feliz. Abraços, fica na paz de Deus.
    Lourdes Duarte.

    ResponderExcluir

* Parceria? Afiliação? Peça ^.^
*Seguindo. Segue de volta? Se eu gostar do blog sim u.u
* Pode deixar seu link ai *-* Com todo o prazer eu irei visita-lo.

© Dose de Poesia. Todos os direitos reservados.
Layout produzido por: Fernanda Goulart
Com a ajuda de diversos sites de tutoriais.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo